21/03/2019

[Resenha] Filhos do Éden - Eduardo Spohr


Boa Noite!! Hoje temos a segunda resenha do mês do blog \o/ E para hoje nosso colunista Vinícius escolheu trazer um dos livros que ele citou na nossa listinha de melhores leituras de 2018 (confira a postagem clicando aqui) que foi Filhos do Éden, primeiro volume da trilogia Herdeiros de Atlântida, do autor nacional Eduardo Spohr.
Dados do Livros
Titulo: Filhos do Éden (Trilogia Herdeiros de Atlântida #1)
Autor(a): Eduardo Spohr
Quantidade de Páginas: 471
Editora Verus
Gênero: Literatura Nacional / Fantasia
Ano: 2012
Skoob: Clique Aqui
Sinopse: 
Há uma guerra no céu. O confronto civil entre o arcanjo Miguel e as tropas revolucionárias de seu irmão, Gabriel, devasta as sete camadas do paraíso. Com as legiões divididas, as fortalezas sitiadas, os generais estabeleceram um armistício na terra, uma trégua frágil e delicada, que pode desmoronar a qualquer instante.
Enquanto os querubins se enfrentam num embate de sangue e espadas, dois anjos são enviados ao mundo físico com a tarefa de resgatar Kaira, uma capitã dos exércitos rebeldes, desaparecida enquanto investigava uma suposta violação do tratado. A missão revelará as tramas de uma conspiração milenar, um plano que, se concluído, reverterá o equilíbrio de forças no céu e ameaçará toda vida humana na terra.
Ao lado de Denyel, um ex-espião em busca de anistia, os celestiais partirão em uma jornada através de cidades, selvas e mares, enfrentarão demônios e deuses, numa trilha que os levará às ruínas da maior nação terrena anterior ao dilúvio – o reino perdido de Atlântida.

Resenha
Filhos do Éden é o primeiro livro da trilogia Herdeiros de Atlântida, escrito pelo best seller brasileiro Eduardo Spohr. Este autor é bem famoso devido a sua obra 'A Batalha do Apocalipse', o seu primeiro livro da carreira, que virou fenômeno na época de seu lançamento em 2007, e faz sucesso de vendas até hoje.

'Filhos do Éden' e os outros dois volumes que são seguidos por ele nessa saga tem como cenário o mesmo universo de 'A Batalha do Apocalipse'. Apesar dessa série ter sido publicada depois do livro único de Eduardo, retrata o período que antecede "A Batalha", com novos personagens e uma nova história.

Por isso pode ficar tranquilo! Você não precisa ler 'A Batalha do Apocalipse' para depois ler a trilogia. Até porque os exemplares da saga acompanham no final dos epílogos um apêndice, onde é muito bem explicado, em poucas palavras, tudo o que o leitor precisa saber sobre a mitologia fantástica dos anjos caídos. Além de trazer mapas, cronologia, e etc. (Tudo é bem explicadinho)! 

Em 'Filhos do Éden' começamos com a informação de que nós, seres humanos, estamos vivenciando o Sétimo Dia do Gênesis, ou seja, o dia que Deus repousou. Também nos é dito que este "dia" pode durar muitas e muitas eras. E por isso, ninguém sabe quando ocorrerá o despertar do Todo Poderoso.

Assim, o Paraíso fica nas mãos dos Arcanjos, que governam o reino celeste. Já os outros anjos ficam encarregados de seguirem as ordens deles. E é justamente por causa dessas tarefas e de alguns ideais diferentes que divergem os arcanjos que será instaurada uma verdadeira guerra civil no Céu.

De um lado temos o Arcanjo Miguel, defendendo o "controle" e intervenção nos seres humanos, e Gabriel, defendendo o livre arbítrio dos homens. Entre essa batalha, Gabriel envia um grupo de seus melhores anjos em uma missão de extrema importância na Terra.

O Arcanjo do Fogo, como é conhecido, fica surpreendido quando seus enviados não retornam ao Paraíso. Assim, o capitão envia uma nova tropa ao plano terrestre. Dessa vez com a intenção de resgatar seus soldados (se esse for o caso) e de cumprir a missão que pode ser crucial para resolver essa guerra.

No meio disso, uma garota universitária desavisada, e um anjo exilado de Miguel também vão entrar na história, para deixar ela MUITO mais interessante.

O livro é sensacional. A começar pela capa, que é de extrema beleza e qualidade! (A princípio, o desenho pode parecer somente um sol. Mas se você olhar direito, é uma das cenas mais épicas e frenéticas do romance).

A forma de escrever do Eduardo é de dar inveja. Ele é especialista em criação de roteiro para cinema e TV, e isso imprime muito em sua obra. Sua narrativa (já disse isso em um pequeno resumo desse livro aqui no blog) é tão bem estruturada que parece que você está assistindo um filme, ao invés de estar lendo um livro. - Faço questão de repetir isso porque é verdade! Kkkk

Uma marca registrada de Spohr é a de transitar entre o passado e o presente de uma forma muito agregadora e bem pensada. Todos os retornos e saltos na história tem um propósito, que serão explicados mais para frente.

Este fato de pular o tempo para depois voltar nele em capítulos mais para frente pode ser muito complicado e irritante para algumas pessoas, (para mim também foi). Mas depois que você "pega o jeito", a experiência fica muito mais divertida e contextualizada!

Diversas aventuras, cenas de ação, lutas insanas e cenários variados e criativos estão por vir em 'Filhos do Éden' e na trilogia 'Herdeiros de Atlântida'.

Se você curte anjos caídos, ficção fantástica e um bom romance entre o céu e a Terra (não só em questão de narrativa, mas de amor também), este livro é perfeito para você!
Onde Comprar: Amazon - Saraiva - Americanas - Submarino

9 comentários:

  1. Oi, Vinícius!
    Já tive a oportunidade de ler A Batalha do Apocalipse e, mesmo que a construção da mitologia dos anjos e demônios tenha me agradado muito, eu confesso que não gostei do protagonista, o que me desanimou em ler a Trilogia Herdeiros de Atlântida. Fico feliz em saber que a história se passa em um período anterior ao Batalha do Apocalipse, e pode ser que isso ainda me faça arriscar a leitura um dia. Gostei de conferir suas impressões. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Confesso que eu amo história de anjos caídos. Tentei uma vez ler um livro do autor, porém não tive êxito, ja que constantemente ficava perdida na narrativa dele.
    Esse salto no tempo que você citou pode ser um problema para mim, mas em um todo, a história super me chamou a atenção, ainda mais por envolver um anjo em missão e uma universitária.
    Concordo com você que a capa do livro é muito bonita, dica anotada!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Vinicius.
    Me lembro muito bem do lançamento de A Batalha do Apocalipse e cheguei até mesmo a comprar um exemplar naquela época! Infelizmente, com a correria da vida, acabei não fazendo a leitura até hoje...
    Gostei bastante do que você contou sobre esse livro e fiquei curiosa. Mesmo não precisando ler o Batalha antes, vou aproveitar que já o tenho na estante e tentar ler ele... Se eu curtir a escrita do autor, então vou atrás dos livros dessa série!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  4. Já li A batalha do Apocalipse é concordo que a escrita do autor é muito boa mesmo! Tenho esse livro e o segundo volume autografado pelo autor, mas ainda não comecei a ler... Ao ler suas palavras fiquei com vontade de tomar vergonha na cara e ler logo hahaha

    ResponderExcluir
  5. Amei a resenha!

    Apesar de não ler tanto fantasia e não ser um dos gêneros que mais aprecio (embora pretenda apostar mais neste gênero este ano), sua resenha acabou por me fazer desejar ler a história e conhecer este universo tão sensacional, com anjos caídos e batalhas decisivas.

    Fico me perguntando qual será a participação da menina universitária e este anjo exilado na história.


    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu tenho gostado cada vez desse tipo de leitura. Confesso que já tinha visto a capa mas não sabia ao certo do que se tratava. Acredito que seja um enredo bem interessante, audacioso e repleto de aventuras.
    Quero incluir nas minhas leituras em breve.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo bem?

    Estou com esse livro na minha estante e louca para dar início. Acho a trama muito interessante, adoro histórias sobre anjos e demônios, e depois da sua resenha, estou ainda mais ansiosa para começar.

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  8. Ola Vinicius, tudo bem?

    Sempre ouvi muitos elogios quanto a escrita da Eduardo, mas confesso que até hoje não tive a oportunidade de conhecer mais a fundo os seus livros. Tenho um serio problema envolvendo a fantasia em si, mas acredito que esse livro eu consiga ler muito bem devido a maneira ágil e o modo de escrita do autor como você descreveu.

    Obrigada pela dica!

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    preciso admitir que essa temática não costuma me encher os olhos, mas conhecendo o quanto os livros do autor são bem elogiados, e lendo uma resenha como esta fica meio impossível ficar indiferente a obra. Então sim, apesar de ser uma leitura fora da minha zona de conforto, é algo que desejo experimentar, ainda mais em se tratando de uma obra nacional tão aclamada.

    Abraços!

    ResponderExcluir

Regras para os Comentários:

- Seja educado e não use palavras de baixo calão;
- Comentários hostis e racistas serão excluídos;
- Deixe o link do seu blog, pois retribuo todos os comentários;