13/07/2015

[Resenha #137] One Man Guy - Michael Barakiva


Boa Noite!! Hoje eu venho trazer para vocês um livro que eu estava morrendo de vontade de lê-lo, mas como não estou comprando livros ultimamente eu não ia poder até que descobri que uma amiga minha tinha comprado <3 Acabei pegando emprestado e devorando ele em uma tarde só e foi uma leitura bem fofinha *-*

Titulo: One man guy
Autor: Michael Barakiva
Quantidade de Páginas: 272
Editora: LeYa
Gênero: Literatura Estrangeira / Romance / Young Adults(YA)
Ano: 2015
Preço: R$39,90 - Compre Aqui
ISBN: 9788544102503
Skoob: Clique Aqui 
Sinopse: Ethan é tudo o que Alek gostaria de ser: confiante, livre e irreverente. Apesar de estudarem na mesma escola, os dois garotos pertencem a mundos diferentes. Enquanto Ethan é descolado e tem vários amigos, Alek tem apenas uma, Becky, e convive intensamente com sua família e a comunidade armênia.
Mesmo com tantas diferenças, os destinos de Ethan e Alek se cruzam ao precisarem frequentar um mesmo curso de férias. Quando Ethan convence Alek a matar aula e ir a um show de Rufus Wainwright no Central Park, em Nova York, Alek embarca em sua primeira aventura fora de sua existência no subúrbio de Nova Jersey e da proteção de sua família.
E ele não consegue acreditar que um cara tão legal quer ser seu amigo. Ou, talvez, mais do que isso.
One Man Guy é uma história romântica, comovente e engraçada sobre o que acontece quando as pessoas saem de suas zonas de conforto e ajudam o outro a ver o mundo (e a si mesmo) como nunca viram antes.

Resenha
Alek tem 14 anos e é o filho mais novo de uma família Armênia, seus pais são conservadores e tentam manter suas tradições fortes e não serem igual a "esses americanos", então eles sempre querem que seus dois filhos deem o melhor de si e quando Alek não consegue entrar nas classes avanças para o próximo ano seus pais decidem que ele deve fazer as aulas de verão e tentar recuperar sua nota, que nem é tão ruim, para entrar nas aulas avançadas.

Assim Alek perde suas tão sonhadas ferias e o acampamento de Tênis que ele tanto queria ir e nem adiantou tentar conversar pois seus pais não mudaram de ideia. Pelo menos ele conseguiu convence-los que enquanto eles iriam viajar ele não precisaria de babá, já estava bem grandinho e não teria problema em passar uma semana sozinho em casa.

Alek é o tipico garoto que não consegue se relacionar e criar tantos amigos, na verdade ele só te uma amiga, a mais fofa possível, Becky uma garota baixinha que ama andar de patins e assistir filmes antigos <3 Mas ela não estaria nas aulas de verão e assim quando elas começaram ele não tinha com quem conversar e muito menos com quem setar na hora do intervalo/recreio.

Um dia quando ele esta voltando para casa resolve ver o que tem do outro lado da estação de trem, onde seus pais nunca o deixaria ir, e acaba se envolvente em uma briga com um dos skatistas que andavam por lá, mas uma garoto o defende e ele consegue voltar para casa sem apanhar do outro garoto. O garoto que o defendeu foi o Ethan e mesmo sendo de um ano diferente do Alek eles acabam ficando na mesma aula de álgebra, por ter poucos alunos a direção de sua escola resolver juntar os dois anos em uma só aula, e assim ele descobre que não consegue prestar atenção na aula por causa do Ethan, mas também não consegue agradecer por ele ter o ajudado antes.

Em outro dia quando estava indo para a aula ele encontra com Ethan em frente a estação de trem e ele acaba sendo convencido a matar aula e ir a um show de Rufus Wainwright no Central Park, e nessa aventura pela cidade os dois acabam se tornando amigos.

Só sei que gosto de estar aqui com você e não consigo me imaginar querendo mais ninguém. Isso basta para você?

Alek tem uma semana para se divertir e quebrar as regras de seus pais antes que eles voltem das ferias e tudo volte ao normal, onde ele não possa ir a Nova York se não tivera companhado dos pais e sempre para o mesmo lugar.

Becky a sua melhor amiga é com quem ele tem as conversar mais legais do livro e é com ela que ele aos poucos vai criando coragem de admitir o que sentem pelo Ethan e assim poder criar coragem de falar para ele.

O final é diferente do que eu esperava e mesmo surpreendendo um pouquinho não foi tão dramático como eu esperaria de algo assim, mas mesmo assim é bom termos um final que seja agradável e fuja um pouco do clichê da rejeição familiar.

O livro é fofo do começo ao fim, temos um romance que poderia ser muito dramático, mas não foi e mesmo sendo a descoberta de Alek sobre a sua sexualidade não vemos aquela carga emocional que temos em outros livros do gênero e mesmo sendo o clichê do cara descolado com o nerd o livro consegue prender o leitor do começo ao fim *-*

Acho que sou suspeita para falar de livros desse gênero já que sou uma fujoshi assumida e amo um bom romance yaoi então amei ler esse livro, só não gostei mais porque achei que poderia ter um draminha maior no final <3

O autor conseguiu escrever o livro com diálogos engraçados e não focando tanto nos clichês e fazendo ele como já comentei ficar fofo, a narrativa dele é fluida e o livro foi escrito em primeira pessoa narrado pelo próprio Alek, assim conseguimos saber com mais profundida o que ele esta sentindo.

Sem duvida é um livro para quem gosta de um bom romance daqueles água com açúcar que você consegue ler em uma tarde só <3

Nota:
(Muito Bom)

Fujoshi: é um termo japonês usado para identificar mulheres fãs de mangá com relacionamento homossexual entre dois homens, o boys love (BL ou Yaoi).

26 comentários:

  1. Me ganhou com "e é com ela que ele aos poucos vai criando coragem de admitir o que sentem pelo Ethan e assim poder criar coragem de falar para ele",mas me perdeu com "água com açucar".Eu passei a amar livros que mostram o relacionamento de um casal gay por causa de Os instrumentos mortais e Will e Will,por isso achei super legal a temática do livro,mas realmente prefiro livros que tenham um quê a mais nele.Acho que você vai me entender quando digo isso.
    Portal do mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lais, entendo sim, mas esse é um romance fofinhos que é bem legal também, quem sabe se l~e-lo não acabe gostando *--*

      Excluir
  2. É a primeira vez que eu vejo alguém falando desse livro e ele parece ser tão fofo que já foi para a minha super lista de desejados no Skoob, kk.
    Abraços, Gabbi <3
    dearlysandra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ola Jess gostei de saber que não há carga dramática e sim um romance de descobertas e um final que surpreendeu. Quando vi o lançamento já me interessei. e lendo sua resenhas estava certa é um ótimo livro. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Jéssica!
    Uauu, ler um livro em uma tarde não é para qualquer um!! A leitura deve ser bem envolvente mesmo!
    Mesmo sendo um romance água com açúcar, o tema de dois garotos que se apaixonam ainda é novo para ser explorado na literatura. Há muitos autores apostando nessa vertente e eu acho muito legal! Fiquei com muita vontade de ler!

    Beijos,
    Fernanda
    www.oprazerdaliteratura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernanda, quando o livro é bem leve da para lê-lo rapidinho *--* Espero que você mate sua curiosidade lendo, vai gostar dele *--*

      Excluir
  5. Oi Jess, tudo bem?

    Realmente não conhecia esse livro, mas depois de ler sua resenha achei a história legal. Eu prefiro com mais carga dramática, mas a premissa do livro me atraiu. Ultimamente também não estou comprando livros, mas vou deixar a dica anotada. Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, um pouquinho mais de drama ia deixá-lo ainda melhor, mas ele é sim um bom livro *--*

      Excluir
  6. Oi Jeh!
    Imagino que deva ser mesmo. A sinopse do livro já mostra que é muito fofo :3 Eu não conhecia, mas adorei a premissa *-* Livros que tratam de LGBT me lembram em muitos os do Levithan, e são sempre bons, porque acredito que eles sempre acrescentam algo. Adorei tanto a trama quanto os dois personagens. E fiquei curioso para conhecê-los e me divertir. Não sou muito de romances água com açúcar, mas de vez em quando :3

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi David, é bem fofo sim *---* De vez em quando um bom romance água com açúcar faz bem <3

      Excluir
  7. Termômetro de fofura apitando loucamente!
    Não conhecia esse livro - a LeYa divulga seus livros muito mal! - mas super anotei a dica. Vai que ele aprece em uma promoção né rs. Parece ótimo para uma tarde despretensiosa.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem duvida é uma ótima leitura para uma tarde de tédio *--*

      Excluir
  8. Não conhecia o livro e não me interessei pela leitura, mas que bom que gostou e achou tão fofo! Fiquei perdida aqui com você usando esses termos japoneses e custei a achar a explicação em letra minúscula no final da postagem... hehe... Acho que eu ia preferir um pouco mais de drama no final também.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ju, vou aumentar a letra assim acho que vai ficar melhor de ler =)

      Excluir
  9. Jéssica, estou louca por esse livro desde que recebi o release da Leya! Eu também não estou comprando livros, por ora, pelo menos! Que bom que ele realmente não é clichê, me anima ainda mais para ler, eu gosto muito o fato de novos livros falarem sobre sexualidade para jovens de uma forma leve e romântica, me animo muito com isso! Adorei a resenha =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostada resenha e da dica de leitura <3

      Excluir
  10. Olá, tudo bem?

    Achei a capa muito interessante e bem trabalhada, adoro amarelo. Contudo, a história em si não me chamou muito a atenção. Não curto muito livros que focam somente em relacionamentos, sejam eles entre os personagens ou familiares, por isso que sempre busco ler livros de aventuras e fantasias épicas, pois o foco não são nas relações, mas nas aventuras que cada personagem inicia. Que bom que o final te surpreendeu e fugiu ao clichê citado.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Matheus, a capa ficou bem legal mesmo *--* Uma pena que esse não seja seu tipo de livro...

      Excluir
  11. oi ^^
    gente que coisa mais meiga esse livro. eu tbm nem posso falar muita coisa pq adoro um yaoi hasushuahu :3
    gostei muito da sua resenha. vou ver se coloco esse livro na minha lista de leitura <3 fiquei encantada pelo modo como vc descreveu a história.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yaoi <3 Fico feliz que tenha gostado da resenha e da dica de leitura, espero que se você tiver a chance de lê-lo goste da leitura tanto como eu ,3

      Excluir
  12. Oiiii
    Logo quando eu vi essa capa na page da Leya eu já fiquei louca para ler. O livro parece ser muito fofinho e divertido. Adoro leituras que podemos ler em uma tarde, sem ver o tempo passar.
    Espero poder lê-lo em breve.

    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tiver chance de lê-lo tenho certeza que vai adora-lo <3 Ele é super fofo.

      Excluir
  13. Pera que eu me perdi! O que é fujoshi e yaoi??? o.O
    Eu adorei essa capa, toda fofa. E apesar de não gostar tanto de romances homo, consigo ler numa boa. Entrou pra lista dos desejados.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava no final da postagem, mas acho que coloquei com letras muito miudas Ç.Ç Bom segue aqui o sanguificado > Fujoshi: é um termo japonês usado para identificar mulheres fãs de mangá com relacionamento homossexual entre dois homens, o boys love (BL ou Yaoi).

      Excluir

Regras para os Comentários:

- Seja educado e não use palavras de baixo calão;
- Comentários hostis e racistas serão excluídos;
- Deixe o link do seu blog, pois retribuo todos os comentários;